sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Mandioca brava x Mandioca mansa


A mandioca brava apresenta características diferentes da mandioca mansa, olhando você pode não saber a disparidade, mas conhece-las é importante!
Para ficar mais fácil de entendermos essas diferenças, primeiramente vamos falar de como comumente são chamadas essas mandiocas. No Brasil existem várias variedades de mandioca. Dentre elas, temos a mandioca de mesa, chamada também de macaxeira, aipim ou mandioca mansa.
Fato interessante é que a região do Nordeste brasileiro, por exemplo, as palavras macaxeira e aipim são usadas como sinônimo de mandioca de mesa, ou mandioca mansa, assim, se chamar simplesmente de mandioca, eles podem entender que se trata da mandioca brava. Isso já não ocorre no Sul do país, que usa pouco as palavras macaxeira ou aipim, utilizando simplesmente mandioca.
Não há diferença nas características visuais ou sensoriais, sendo que a maneira de as diferenciar é através de testes em laboratórios, onde os resultados de teor de ácido cianídrico são determinantes para o consumo deste produto. O alto teor de ácido cianídrico que a mandioca brava possui é extremamente toxico ao homem e animais.
A mandioca brava deve ser submetida a técnicas de detoxificação, através da secagem, para que seja consumida. Sendo assim processadas com o intuito de obter, principalmente, farinha, polvilho ou fécula.
Já a mandioca tipo mesa é consumida das mais diferentes formas, como em bolos, biscoitos, pudins ou simplesmente cozida e frita. Portanto, está variedade não precisa ser processada. A mandioca de mesa também possuí ácido cianídrico, porém o teor é baixo (não tóxico).

Nenhum comentário:

Postar um comentário